de volta à nave mãe: home
Home Home by Ivana Ebel Facebook Twitter E-Mail

menu

Estudar fora Sobre a Alemanha Viagens & turismo
Nonsense Receitas Jornalismo

terça-feira, 20 de março de 2012

Brigadeiro na Alemanha: a pegadinha da Rumkugel e porque os alemães não gostam do nosso doce


Eu já escrevi sobre a relação não muito amorosa dos alemães com brigadeiro em uma das colunas Conexão Alemanha (que você pode ler aqui), mas hoje acabei entendendo mais profundamente o porquê de eles não serem tão fãs dessa iguaria que nós, brasileiros, julgamos impossível não amar. A história é bem pessoal e começa assim. Eu, no auge da TPM, fui no supermercado (Rewe) comprar produtos de limpeza para dar conta de organizar o apartamento que estamos entregando (sim, estou mais uma vez de mudança, mas conto isso em outro post mais pra frente).  Então, um item da minha lista eram nozes (uma dica maluca e simples para cobrir marcas e arranhões em móveis e no chão! Rá – como diria a Bruna).

Entro então, bem feliz, no corredor das guloseimas: porque pela lógica alemã, as nozes não ficam com as amêndoas ou macadâmias ao lado dos bolos. Elas ficam junto com os amendoins fritos e bilisquetes diversos no meio dos salgadinhos: o corredor maldito. E lá, com uma plaquinha vermelha retumbante, anunciando a oferta, estava a caixinha abaixo:

Rumkugel: parece brigadeiro, mas não tem nada a ver... :(

Eu já tinha visto mil vezes as tais Rumkugeln (bolas de rum) no mercado – com confeitos de chocolate ou mesmo coloridos – e nunca tinha dado bola. Mas hoje, eu olhei para o pacote e só consegui enxergar brigadeiros. Peguei a caixa e corri para o caixa. Esqueci até de comprar leite e queijo. Então, como criança pequena , abri o tal do pacote ainda no caminho de casa e enfiei a bolinha de chocolate na boca...

...Que vontade de cuspir tudo! Não que as bolinhas sejam necessariamente ruins: mas também não chamaria de boas.  A textura até lembra brigadeiro, mas o sabor predominante é mesmo o de rum e açúcar: pouco se percebe do chocolate. Mas a decepção maior é justamente esperar um sabor e sentir outro. E foi nesse momento que entendi os alemães. Todas as vezes em que fiz brigadeiro para algum grupo de Fritz e Fridas (embora esses sejam nomes não muito comuns aqui!), me perguntaram se os docinhos eram Rumkugeln. Expliquei que não e descrevi a receita dos nossos tradicionais brigadeiros. A reação à prova foi quase sempre a mesma: diferente, muito doce. Claro, como eu, eles foram enganados pelos olhos: esperavam sentir um gosto parecido ao de Rumkugel e se deparam com uma mistura bemmm achocolatada e açucarada.

Mas antes que alguém se desespere e pense que não existe brigadeiro na Alemanha, pode respirar aliviado. Não tem pronto, mas da pra fazer em casa sem problemas. Leite condensado igualzinho ao do Brasil vende em qualquer mercado maior – não os discounters como Lidl, Aldi, Penny. Mercados asiáticos e russos também vendem: custa, em média, 1,50 a latinha (A Mel explica tudinho nesse post aqui). Mas preste atenção: se chama Gezuckerte Kondensmilch. Se estiver escrito apenas Kondensmilch (embora seja uma latinha do mesmo tamanho) se trata apenas de leite evaporado para por no café.  As forminhas é mais fácil de achar perto da Páscoa e do Natal, já que são usadas para acomodar os Pralinen (bombons). Procure por Papier Pralinenförmchen. Eu, particularmente, trago do Brasil ou encomendo dos amigos: as tupiniquins são baratas, leves, lindas e bem mais coloridas.

Ps.: A Mel, que mencionei ai em cima, comentou comigo no Facebook que  passou pela mesma decepção quando era menininha. Ela contou a história dela nesse post aqui. Ta vendo como essas bolinhas malditas enganam? :( 

7 comentários:

Joaninha Bacana disse...

Aaaaaamo brigadeiro :-) E, nao, tbm nao gosto muito de Rumkugeln :-)
Beijocas, Angie

Babisenberg disse...

ahh pros alemaes que eu ofereci gostaram bastante dos brigadeiros... as tais das Rumkugel eu nunca experimentei, mas se tem rum, deve ser bom... hahahaha...
Mas é sacanagem mesmo comer uma coisa achando que é outra... odeio quando isso acontece, especialmente na TPM né?!!

Ana Gaspar disse...

HUm!!!
que pena... teremos que fazer em casa então, Valentina adora...
só não entendi uma coisa, não vende nos supermercados menores? puxa vida, onde alugamos tem dois desse Aldi e Lidi em frente..
beijos

Eve disse...

Eu "quase" passei por essa decepcao tb. Marido comprou pra mim, aí eu cresci os olhos pro danado e ele foi logo dizendo: nao se anima, nao que nao é igual. hahahahaha

qdo nos vemos de novo???? hein? hein?

bjs!

barb disse...

Meu marido é alemao e adorou brigadeiro...

Rebecca disse...

Mas não vais sair de Berlin, não, né?

Andressa disse...

Mas olha, eu moro em Kassel e toda vez que faço negrinho e branquinho (no RS se chama assim hehehe) ou as "Pralinen" como eles acabam chamando aqui, o pessoal come como se não houvesse amanhã! Acho que depende da região aqui da Alemanha! Bjs

de volta à nave mãe - desde 2008 © Ivana Ebel